O dia em que me descobri

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Um belo dia, mais precisamente, dia 06 de maio, 2016, deitada no Hyde Park, London, olhando para o céu, escutando a playlist da minha banda favorita, Coldplay, ( A head full of dreams). Um dia qualquer, normal, rotineiro como todos os outros, desde que decidi ir fazer um intercâmbio de 6 meses, inicio 05 de marco, final 05 de agosto.

IMG_1193

Mas esse dia, posso me lembrar todos os detalhes e sentir tudo o que senti como se fosse agora, não foi nada programado. Eu sairia da aula de inglês e iria para casa, como costumava fazer todos os dias, mas alguma coisa dentro de mim decidiu mudar o roteiro do meu dia.

Nesse dia, sai da aula e fui direto ao Hyde Park que fica a minutos da escola, me deitei na grama, coloquei minha playlist para tocar, e fiquei observando o céu, as aves que estavam sobrevoando, as pessoas, observando cada coisa nos mínimos detalhes. Até que decidi me observar, observar como a minha vida esta andando, se era a vida que eu queria ter naquele momento, e na vida que queria ter futuramente, e sim, era. A minha vida estava indo perfeitamente como eu queria, então comecei a fazer o exercício de imaginar e visualizar, como esta escrito no livro “ The Magic”, por Rhonda Bryne, esse exercício consiste em você visualizar sua vida como quer futuramente, fechei meus olhos e fiz uma viagem no tempo, viajei no meu passado, fiz uma breve parada no meu presente, e viajei no meu futuro. Visualizei cada coisa que eu queria que acontecesse, e esta acontecendo, visualizei e me senti vivendo aquilo como se fosse naqueles minutos, hoje, uma das coisas que eu visualizei acabou de se concretizar, eu não sabia o que eu sentiria quando alguma daquelas coisas se realizassem, e agora, com a realização, eu não sei definir o que estou sentindo.

Não sei se é felicidade, ou aquele sentindo de que ‘’ eu sou foda’’, ‘’ eu fiz isso acontecer’’, ou se a ficha não caiu ainda. Quero chorar e não saem lagrimas, quero sorrir mas o riso não vem, me encontro estigmatizada, parada, não consigo pensar, agir, falar, no entanto decidi escrever.

O dia em que me descobri, descobri quem eu sou de verdade, descobri a minha missão aqui nesse ponto pálido azul que chamamos de nossa casa, descobri o quão a minha alma é linda, e o quão eu sou uma boa pessoa. O quão eu amadureci, mudei, aprendi, e continuo aprendendo, afinal a vida é um constate aprendizado. O dia em que me descobri, em nem fazia ideia do que estava acontecendo, eu só estava fazendo o que o meu coração me mandou fazer.

Ontem, quando parei para pensar, quem eu sou e estou sendo, lembrei que eu ja tinha descobrido isso, a um ano atrás, procurei as fotos que tirei naquele dia e descobri o dia em que eu, Karen Padilha, me descobri, e isso foi tão bom, que palavras não descrevem.

Eu espero que todas as pessoas passem por esse processo de descobrimento pessoal, pois é uma experiência pela qual todos precisamos passar.

Kaka Padilha.

Advertisements
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
%d bloggers like this: