A origem da vida

A vida teria se originado em algum lugar do universo , e chegado a terra em resto de cometas e meteoros com poeira cósmica ou pelo menos assim os primeiros compostos orgânicos.

Ou a vida se formou aqui a partir dos elementos químicos que deram origem ao nosso planeta , e nesse caso voltamos a ideia da abiogenese pelo menos para a ideia do primeiro ser vivo, ou a vida veio de fora da terra, mas em qual estádio de desenvolvimento. 

Um ser vivo se origina de outro ser vivo , por meio da reprodução. Mas e ai esta a pergunta, como se originaram os primeiros?

”Abiogênese é o processo pelo qual um organismo vivo surge naturalmente a partir de matéria não vivos, em oposição a biogénese, que é a criação de organismos vivos de outros organismos vivos.”

 A abiogênese ou teoria da geração espontânea foi a primeira justificativa criada para a origem da vida. Aristóteles foi dos primeiros a explicá-la. Com base na observação e dedução lógica afirmava que alguns materiais possuiriam uma força vital, com o poder de criação da vida. Por exemplo, punhado de trapos velhos e sujos possuíam força vital então, depois de algum tempo, originavam seres vivos de características semelhantemente sujas, como ratos e insetos. Anfíbios e répteis apareceriam pela transformação espontânea do lodo do fundo dos lagos e os vermes surgiam espontaneamente do corpo de cadáveres decomposição. Até meados do século XIX era esta a teoria aceita. No século XVII o cientista italiano Francesco Redi decidiu investigar a origem dos vermes que surgiam dos cadáveres decomposição. Redi observara moscas voando ao redor dos cadáveres de diversos animais e aí ele pensou: talvez os vermes fossem as larvas que surgiriam dos ovos das moscas. Para testar realizou experimento: colocou diversos cadáveres de animais potes de boca larga, tapando alguns deles com uma finíssima gaze e deixando outros abertos. Resultado: naqueles que as moscas entravam e saiam logo surgiram as larvas. Já nos que estavam tapados com gaze não surgiu nenhuma larva, nenhum verme, mesmo depois de vários dias. Isto desacreditou a abiogênese, mas ela voltou a circular como opção para explicar a origem dos microorganismos no século XVIII. Os cientistas estavam divididos: uns acreditavam na geração espontânea e outros achavam que os microorganismos eram fruto de sementes presentes no ar que ao cairem ambientes ricos alimento proliferavam-se. 1745 John Needham fez o seguinte: pegou caldos nutritivos com microorganismos e aqueceu tentando esterilizá-los. Seguida vedou-os para evitar interferência de organismos externos Porém depois de alguns dias estavam novamente cheios de microorganismos. Isso levou a reafirmar a abiogênese. 25 anos depois Lazzaro Spallanzani, cientista italiano repetiu o experimento de Needham com algumas correções. Não apenas aqueceu os compostos, mas os ferveu e após isso fechou-os hermeticamente, dessa forma os líquidos mantiveram-se estéreis. A partir daí Spallanzani concluiu que Needham cometeu erro ao apenas aquecer o caldo, o que não era suficiente para matar os microorganismos. John Needham respondeu às críticas de Spallanzani afirmando que da forma como foi fervido o caldo nutritivo seria realmente impossível o ressurgimento da vida, uma vez que o aquecimento excessivo além de matar os microorganismos também destruiu a força vital. Assim a abiogênese novamente prevalece. A discussão foi até meados do século XIX quando o cientista francês Louis Pasteur demonstrou que os seres microscópicos presentes caldos nutritivos resultavam da contaminação por microorganismos ou por seus esporos provenientes do ar. O que fez Pasteur? Colocou caldo nutritivo balões de vidro com gargalos longos e estreitos que eram amolecidos ao fogo e curvados como o pescoço de cisne. Seguida fervia o conteúdo com a intenção de matar qualquer microorganismo presente. O pescoço funcionou como filtro uma vez que quando o líquido esfria o ar que entra condensa-se na parte curva do balão e as impurezas ficam retidas. Resultado: ausência total de microorganismos nos líquidos dos frascos com pescoço de cisne, mesmo depois de meses. Quando ele removeu o pescoço de cisne apareceram bolores. Assim Pasteur mostrou que o líquido não perdeu as suas propriedades de originar a vida pois depois que o bico foi retirado houve a formação bolor e também que não houve ausência do ar uma vez que ele podia entrar e sair do frasco. Isso demonstrou que a hipótese de contaminação microbiana a partir do ar estava certa e derrubou a teoria da abiogênese. Esse conhecimento embasou uma nova teoria, a teoria da biogênese, segundo a qual ser vivo surge somente pela reprodução de seres de sua espécie. A aceitação da biogênese deu origem a novas questões. Se todo o ser vivo surge de outro preexistente, por meio da reprodução, como se originaram os primeiros? E que época da Terra? De que maneira isso ocorreu? A história da Terra inicia a 4,5 bilhões de anos como resultado da agregação de pequenos corpos do disco de matéria que orbitava torno do Sol recém formado. Nesse momento o planeta era uma massa disforme de rochas ebulição bombardeado por incessantes chuvas de meteoros, sem abrigar vida. Mais tarde a Terra desenvolveu uma atmosfera formada pelo acúmulo de gases liberados do seu interior. Acredita-se que esses gases fossem principalmente gás carbônico, nitrogênio, metano, hidrogênio e vapor d’água. Com mais matéria segregando a aparência da Terra seria a de uma bola incandescente. O resfriamento gradativo fez com que as rochas começassem a se solidificar formando a crosta terrestre. Pela ação vulcânica água e gases eram expelidos do interior do planeta. Como a superfície seria quente demais, a água deve ter se acumulado na atmosfera e contacto com as camadas mais altas e frias cairia na forma de chuva. Quando a superfície esfriou o suficiente para que a água líquida da chuva pudesse se acumular formaram-se as primeiras áreas alagadas, precursoras dos quentes e rasos lagos, mares e oceanos primitivos. A teoria da evolução química da origem da vida foi proposta no século XIX por Thomas Huxley e retomada na década de 1920 pelo biólogo John Haldane e pelo bioquímico russo Aleksandr Oparin. Apresentaram uma ideia muito interessante e que nos leva a uma releitura da hipótese da abiogênese no sentido da criação da vida se dar por compostos não vivos, porém sem a ação da chamada força vital. Eles acreditavam que a soma de gases da atmosfera, metano, hidrogênio, amônia, e vapor d’água, mais a ação vulcânica, altas temperaturas, radiação ultravioleta e as descargas elétricas das tempestades poderiam gerar a mistura de compostos que já existiam e formação de outros como aminoácidos e proteínas. que juntos a carbohidratos, lípideos e bases nitrogenadas formam a estrutura básica dos seres vivos. Bom, existe vida no planeta Terra, como ela se formou? Temos 2 hipóteses: ou a vida se formou aqui a partir dos elementos químicos que deram origem ao nosso planeta e nesse caso voltamos à ideia da abiogênese pelo menos para a origem do primeiro ser vivo ou a vida veio de fora da Terra. Mas qual estágio de desenvolvimento? Essa teoria é a da panspermia, proposta pelo físico sueco Arrhenius. A vida então teria se originado algum lugar do Universo e chegado à Terra restos de cometas e meteoros ou poeira cósmica, ou pelo menos teriam chegado assim os primeiros compostos orgânicos.

Kaka Padilha

Advertisements

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s