A cada dia viver me esmaga com mais força.

Como uma criança que perdeu a mãe na floresta, a apreensão e o medo me perseguem, já não é mais fácil como antes encontrar uma luz no fim do túnel ou me livrar desse amontoado  de incertezas que remoem todo o meu ser. 

O quarto de dormir é o meu ponto fixo para minhas dores e preocupações. Vejo meu reflexo no espelho e me pergunto porque estou fazendo isso comigo mesmo, perdendo minha cabeça , me afundando cada dia mais, algumas vezes é difícil seguir o nosso coração, as lágrimas não são uma derrota, é normal não estar bem, todos estão sofrendo.

Já não sei mais se o que estou fazendo faz algum sentido ou se estou presa a uma ilusão que não existe e não me liberta, estou presa em um círculo vicioso do qual não consigo sair. No fundo, bem lá no fundo, sei o que deve ser feito porém não consigo despertar verdadeiramente.  

Gritos de socorro silenciosamente e continuo a ser esmagada a cada dia que passa .

Karen Padilha 

 

 

Advertisements