Minha triste imperfeição .

Foi buscando acertar que às vezes eu errei,  mas quem pode acusar sem tentar compreender, somos todos seres humanos , só cometemos erros diferentes uns dos outros, só existe um erro que cometemos iguais que é nos julgarmos sem que saibamos a real história que cada um trás consigo.

Venho buscando acertar à um tempo, a cada dez coisas que faço nove são erros. Para quem vê de fora, é triste a minha história, é de dar dó. Mas não é assim que vejo. Não quero que sintam pena de mim, ou que falem ”coitadinha”, até hoje tudo o que passei foram obstáculos que fui forte o bastante para vencê-los, me considero uma grande pessoa com uma boa carga e conhecimento que é uma obrigação minha compartilhar com os demais e inspirá-los a nunca desistir, por mais sofrido que seja o caminho ou o que nos fizeram. Temos de ser fortes para viver a vida, algumas vezes ela pesa demais. E é ai que me encaixo atualmente , venho passando por momentos difíceis , sei a capacidade que tenho de mais uma vez sair vencedora, o que me falta é a vontade de usar isso. Tenho deixado os obstáculos serem mais fortes que  eu e me vencerem. Perdi a parte de menina sonhadora e que acreditava que tudo era possível por aí, não sei do que chamar essa fase da minha vida, se é uma fase de azar que não passa, se é uma fase que vai demorar para passar mas que quando passar eu tenha aprendido com tudo isso, ou se é só uma fase em que eu tenha que mostrar que eu sou mais forte, buscar  lá dentro do meu coração mesmo que não tenha muita coisa, motivos que me façam ter coragem e vontade de sair dessa situação.  

Ao meu redor procuro entender o que está acontecendo, mas cansada estou e fraca a esperar que algo aconteça e venha me despertar desse sono profundo em que me encontro. Sono esse que posso chamar de pesadelo é como se estivesse adormecida por quatro meses no mesmo dia/noite , o tempo vai passando, mas meus dias não,  são todos a mesma coisa, me sinto como  uma marionete em meio aos outros. 

Não sou hipócrita  em dizer que não  sei porque estou assim, eu sei todos os motivos que me fizeram tornar-me a cada dia que passava uma viciada e controlada pela cocaína, uma coisa eu não estava atenta, no momento em que eu deixei de controlar ela e ela passou a me controlar e me levando aos poucos a um caminho que parece sem volta. 

O tempo foi se passando, comigo estava tudo bem, tudo do jeito que eu queria, com o uso me tornei uma menina magra como sempre sonhava, me achava linda , mal sabia que não estava, eu saia sempre para festas, cheia de ”amigos” ao redor, me sentia completa. O dia em que me dei conta de que não estava tudo bem foi em uma viagem que fiz para Angra dos Reis – RJ, com amigos e uma amiga em especial que me ajudou a olhar para mim mesma. Estávamos no barco em meio ao mar fazendo festa , todos sorrindo e felizes, quando em algum momento me peguei dentro do banheiro com essa amiga, eu estava chorando sem saber o que estava fazendo e o que minha vida estava se tornando, estávamos conversando quando bateram na porta, e eram dois amigos que eu tinha acabado de conhecer, eles viram minha situação e entraram no banheiro e perguntaram porque eu estava daquele jeito, contei então que estava viciada e não sabia o que fazer, ficamos quase uma hora conversando, eles dizendo que eu podia sair dessa, que não merecia, e me aconselhando a me internar. Saímos então do banheiro e fomos para um quarto, eles continuaram falando coisas positivas para mim, foi quando minha ficha caiu realmente, e eu prometi  que ia procurar ajuda. Quando voltei de viajem foi o que fiz, procurei meu psiquiatra, falei o que estava acontecendo, pedi ajuda para falar com meu namorado e fazê-lo entender. Feito isso, no dia seguinte fomos em uma clínica que o meu médico tinha aconselhado, quando chegamos lá vimos que não era um bom lugar, as pessoas não pareciam profissionais e as instalações não eram boas, nem limpas. Saímos decepcionados com meu médico pela péssima indicação, e no caminho de volta eu procurei por uma outra clínica e encontrei a melhor do brasil, então fomos para essa clínica, que fica em Atibaia-SP,  fomos super bem acolhidos, e então fiquei e me encontro nessa clinica a quatro caminhando para o quinto mês .

Não posso dizer que mudei porque não mudei, mudei fisicamente e para pior, tomava muitos remédios, mais de 10 por dia, agora a pedido do meu namorado diminuiu para 4, mesmo assim não é fácil. Eu sei o que é bom e o que não é para mim, entretanto eu não consigo fazer o que é bom, eu faço todas as escolhas erradas, mesmo sendo consciente de qual é a certa. Sei perfeitamente de que não serei feliz e não terei um futuro legal continuando a achar que essa droga é boa para mim, mesmo assim eu continuo achando. 

Meu maior motivo em estar aqui é para salvar meu relacionamento, outrora, se não tivesse tido o ato de procurar ajuda não teria mais relacionamento, pois meu amor não sabia que eu era drogada e não entendia o que estava acontecendo, minha variações de humor, falta de apetite, de sair de casa e etc…

Eu já me encontrava a dois meses dentro de casa, sem sair para a rua, pois já estava com mania persecutória , paranóia, me encontrava todo esse tempo usando todos os dias, sem dormir, sem comer, sem fazer exatamente nada . A viagem para Angra foi no final desses dois meses. Sabia que alguma coisa estava errada, mas não tinha atitude nenhuma, graças à dois amigos eu tomei a atitude de procurar meu médico e a clinica. Acho que se não tivesse feito isso, poderia estar morta hoje. Contudo, parece que eu só adiei as coisas. 

O meu amor é verdadeiro, é um sentimento real, eu entreguei tudo aquilo que há em mim, pode não parecer se o mau que há em mim faz doer o seu coração, mas o que vivo penso e sou é tudo por e para você. 

Peço que mesmo sem que eu acredite, que o sol volte a brilhar  para mim, e que eu volte a ser quem era ou melhor que isso. Sei que isso só será possível se eu acreditar, mas fraca estou.

”Quem acredita sempre alcança….”,  nunca deixem de acreditar em si mesmo assim como eu, não é a melhor escolha. 

Karen Padilha 

 

 

 

Advertisements