Escrever não é só escrever, é experienciar, depois escrever.

Talvez pensem que escrever seja apenas o ato de colocar no papel sentimentos e pensamentos sobre os diversos assuntos, mas escrever não é só isso, escrever é uma arte, um dom que muitas pessoas tem, algumas descobrem esse dom e simplesmente ama o ato de escrever , outras não. Eu me encaixo no grupo de pessoas que amam fazer isso e que quer levar adiante e fazer disso minha carreira. 

Desde a infância eu apresentava o meu gosto pela literatura, por escrever, sempre escrevi sobre sentimentos, reflexões sobre a vida e tudo o que nela existe, escrevia poemas que eram selecionados para fazer parte do livro do colégio, tenho um lado sentimental aguçado e deixo que minhas emoções fluam e então as coloco no papel. Além disso, para melhorar meus textos e artigos, é preciso que eu leia bastante, busque conhecimento sobre o assunto, nunca copiando coisas de outros sites ou autores, sempre tentando a originalidade. Acredito que o que faço é muito bom, pois faço com amor, e tudo o que existe amor no meio é uma coisa boa, que vale a pena fazer. 

Se às vezes me vem o pensamento de se eu sou boa ou não no que faço na cabeça? Sim, muitas vezes, mas as respostas de pessoas que lêem meus textos e tudo o que escrevo são sempre positivas, então acredito cada vez mais no meu potencial. 

Escrever não é fácil. 

 Stephen King diz: “Não posso me sentar e dizer que não existem maus escritores. Desculpe, mas há muitos maus escritores.”

Bem, espero que eu não faça parte deste pensamento.

Abaixo alguns conselhos do autor para se tornar um bom escritor/escritora:

1- Deixar a televisão de lado, e ao invés disso, ler bastante.

Para iniciantes a televisão é a primeira coisa a ir embora. ”É venenosa para a criatividade”, ele afirma, ” Escritores precisam olhar para si próprios e se virar para a vida da imaginação”. 

Devem ler o quanto podem.  “Se você quer ser escritor, deve fazer duas coisas acima de todas as outras: ler muito e escrever muito”. 

2- Prepare-se para mais falhas e críticas do que imagina saber lidar

 “Há muita oportunidade para dúvidas sobre si. Não apenas você vai duvidar de si, mas outras pessoas também. Se você escreve (ou pinta ou dança ou esculpe ou canta, suponho), alguém vai tentar te fazer se sentir mau sobre isso, é tudo”.

“Constantemente, você tem de continuar escrevendo mesmo quando não se sente bem com isso. Parar um trabalho apenas por ser difícil, emocionalmente ou imaginativamente, é uma má ideia”. E quando você falha, King sugere se manter positivo. “O otimismo é uma resposta legítima e perfeita à falha”.

3- Não desperdice tempo tentando agradar pessoas

“Se você pretende escrever tão verdadeiramente quanto pode, seus dias de uma sociedade polida estão contados de qualquer modo”.

Por seus 40 anos, ele percebeu que todo escritor decente foi acusado de ser um desperdício de talento. King definitivamente se ajeitou com isso. Ele conta: “Se você desaprova, só posso encolher meus ombros. É o que tenho. Você não pode agradar todos os seus leitores o tempo todo”. Então, King aconselha que pare de se preocupar.

4-  Escreva primeiramente para si mesmo.

Você deve escrever porque isso te traz prazer. “Eu fiz pelo puro prazer. Se você pode escrever por prazer, pode fazer isso para sempre”.

“Encontre um assunto com o qual você se importe e sinta em seu coração que outros deveriam se importar. É esse cuidado genuíno, não são seus jogos de linguagem que serão o elemento mais sedutor de seu estilo”.

5- Enfrente coisas que são mais difíceis de escrever.

“As coisas mais importantes são as mais difíceis de dizer”, diz King. “São delas que você se envergonha porque as palavras diminuem seus sentimentos.” Muitos grandes trabalhos escritos vieram após horas de pensamento. 

“Histórias são coisas encontradas, como fósseis no solo… são relíquias, parte de um mundo pré-existente não descoberto”. Escritores devem ser como arqueologistas, escavando o quanto puderem encontrar para uma história.

6-  Quando estiver escrevendo, se desconecte do resto do mundo

“A escrita deve ser uma atividade totalmente íntima. Ponha sua mesa no canto do quarto e elimine todas as distrações possíveis – de telefones a janelas abertas.”

Mantenha total privacidade entre você e seu trabalho. Escrever o primeiro rascunho “completamente cru, que me sinto livre para fazer com a porta fechada”. É a história despida, apenas de meias e cuecas.

7. Não seja pretensioso.

“Uma das piores coisas que você pode fazer para a sua escrita é enfeitar o vocabulário, procurar por palavras longas apenas por um pouco de vergonha das suas curtas”.

A escrita é um pensamento refinado. Busque sempre melhorar.

Karen Padilha

Advertisements