Advertisements

Em busca do Paraíso.

A primeira coisa que eu tenho plena consciência na minha vida é de que não importa o quão difícil uma situação possa parecer, eu sou uma vencedora, e não importa quantas vezes eu caia, pise na bola, seja fraca. A vida me dá de presente todos os dias a chance de provar para mim mesma que eu sou mais forte de que eu possa imaginar.

Hoje esta sendo um dia muito difícil para mim, pois eu me deparei com uma situação que eu não imaginei que fosse acontecer tão cedo, e que pensei que quando acontecesse eu estaria preparada para não deixar que isso me afetasse tanto. 

Dentre todos os problemas que eu enfrento todos os dias, o vício em cocaína  esta sendo o maior deles. A cada novo amanhecer eu sei que vou ter que ser mais forte do que fui no dia anterior, que serei colocada à prova, e que por mais que eu queira, não tenho a certeza de que conseguirei. 

O que me ocorreu foi o fato de que enquanto eu estava procurando um chip de celular antigo do que eu preciso para transferir meu whatsapp para meu celular novo, eu encontrei primeiro vestígios da droga guardada em coisas que eu não sabia que ainda existia. 

No primeiro momento foi tranquilo, pois eram só vestígios. 

Continuei então procurando e me deparei com um saquinho de uma joalheria pequeno que eu sempre escondia a droga dentro, no exato momento em que coloquei minhas mãos nele tive o pressentimento de que encontraria algo dentro. 

Dito e feito. Quando o abri encontrei outro saquinho dentro, só que esse estava cheio de cocaína. 

Mil pensamentos passaram pela minha cabeça, e muitos sentimentos ao mesmo tempo.

A primeira coisa que pensei foi em abrir e usar, em seguida me lembrei do que me aconteceu da última vez que usei que foi horrível. 

Lembrei o quão vulnerável ficava, incapaz de tomar qualquer tipo de decisão, quanto mais me lembrava das coisas mais tragédias vinham a minha mente. Junto com tudo isso a vontade incansável de fazer o uso não me deixava. 

Então, coloquei tudo aonde estava, inclusive a droga. Não tive a coragem de jogar fora. 

Eu sabia e sei que se eu cedesse a essa vontade toda a minha luta estaria acabada a partir daquele momento. Todos os dias sem usar, todo o sofrimento pelo que passei não teria servido de nada. Eu voltaria a ser refém da droga e do vício. 

Pensando nisso eu não fui fraca a ponto de satisfazer a minha vontade. Mas também não fui forte o suficiente para jogar fora. 

Eu segui com meu dia adiante, fazendo o que tinha de fazer, e o pensamento o tempo todo no que tinha acontecido, e a dúvida até agora dentro de mim, a vontade de me saciar, e saber que isso não pode acontecer. O medo de não aguentar, e o não saber do porque de não conseguir me desfazer disso. 

É didicil saber o que deve ser feito e não ter coragem de fazer. 

Eu sempre soube que algum dia eu ia me deparar com a droga e dizer não, só não pensei que fosse uma situação dessa. 

Sempre soube também que eu terei de conviver com isso pelo resto da minha vida. Que cada dia é como se fosse mais uma batalha vencida em uma guerra. Que sou como um campo minado que pode explodir a todo momento. Sabendo que posso decepcionar pessoas que amo e que posso me perder novamente. 

Não é fácil passar pelo inferno todos os dias em busca do paraíso.

Karen Padilha

Advertisements
%d bloggers like this: