A perda do amor é igual à perda da morte. Só que dói mais.

Nessa última semana tenho pensado muito em relacionamentos, em foco nos relacionamentos fracassados, que não deram certo. 

E me perguntando como pode duas pessoas que estavam juntas, que trocavam juras de amor, um dia decidirem que não querem mais ficarem juntas, ou na pior das hipóteses somente uma das partes sentir que não quer mais. Não sai da minha cabeça o porque disso. Se um dia o que mais queria era estar com a outra pessoa para sempre, e daqui a pouco essas palavras não servem mais de nada e são substituídas pelas ” acho que não dá mais”, eu não consigo entender e fico querendo entender. 

Eu não sei o que acontece comigo que eu continuo acreditando que fases ruins são só fases e vão passar, que se realmente existir o amor pelo outro, isso será suficiente para que o desejo de desistir não bata na porta. 

Quando estamos em um relacionamento, aprendemos tudo sobre o outro, os defeitos e as qualidades, o que o deixa bravo ou não, seus gostos, cor preferida, lugares aonde gosta de ir, comida preferida, ou seja , tudo. Passamos a aceitar e aprender com coisas que não gostamos para poder estar juntos, superamos as adversidades , queremos agregar na vida do outro. 

Passamos a viver uma vida aonde a todo momento nos preocupamos com a pessoa que esta ao nosso lado. E no que fazer para deixa-la feliz. Um relacionamento não é sempre a mil maravilhas, vão ter os momentos difíceis , quando o mais fácil é desistir de tudo e partir pra outra. Mas fazer isso é desistir de tudo que fora construído até esse momento. 

Existem as situações aonde uma parte deixa realmente de gostar da outra e querer estar junto, e é isso que fico me perguntando o porque. 

Talvez por eu ser uma pessoa que não desiste nunca, que tudo o que falo não é só momentâneo e sim para a vida toda, por me entregar sem medo, por querer vencer todas as dificuldades para estar junto da pessoa que eu amo. Mas e quando essa pessoa já demonstra que estar na nossa vida não é mais o que ela quer. Continuo insistindo porque acredito no amor e os motivos não me levam a acreditar realmente que é isso o que ela quer, ou aceito e deixo ir. 

Deixo ir tudo aquilo que me faz ter vontade de viver, deixo ir tudo o que eu mais amo e que tanto fiz para estar junto, deixo ir a pessoa com quem eu não imagino minha vida sem. E como aceitar isso? Momentos quando fome feitas juras de amor, momentos em que senti que nosso amor realmente seria forte para suportar tudo me vem a mente e me faz acreditar que não é isso realmente que o meu parceiro quer, e então fico acreditando nisso porque aceitar que é o fim e não insistir mais é como que perder o sentido da vida. 

O que fazer quando não se sabe o que fazer, ou quando sentimos que sabemos o que fazer, mas isso não é o que queremos ?

Como aceitar que a pessoa que tanto amamos não estará presente em nossos dias e nem em nosso futuro, como aceitar que todos os planos e sonhos construídos com essa pessoa não acontecerá?

Como nos recuperar desse golpe que a vida nos deu?

Como superar a perda? 

” A perda do amor é igual à perda da morte. Só que dói mais. Quando morre alguém que você ama, você se dói inteiro (a) mas a morte é inevitável, portanto normal. Quando você perde alguém que você ama, e esse amor – essa pessoa – continua vivo (a), há então uma morte anormal. O NUNCA MAIS de não ter quem se ama torna-se tão irremediável quanto não ter NUNCA MAIS quem morreu. E dói mais fundo – porque se poderia ter, já que está vivo (a). Mas não se tem, nem se terá, quando o fim do amor é NEVER.” Caio Fernando de Abreu

1455938172654

Karen Padilha

Advertisements