Se aceitar como é, com a vida que você realmente tem e vive para algumas pessoas pode parecer muito difícil. Porque as vezes essa pessoa pode pensar que para ser aceito precisa fingir ser e viver o que não é real.

A aceitação de si mesmo é uma aventura que pode durar muito tempo, e que muitas vezes pode ser uma aventura sem fim. A partir do momento em que nos sentimos com quem somos de verdade , com o que temos e conseguimos alcançar, você não precisará mais usar máscaras, e continuar se escondendo por de trás dela. Quando conseguimos aceitar quem somos surge o equilíbrio interior que é muito importante.

Há quem passa grande parte de sua vida aparentando ser algo que não é. E não é só isso. Longe de se aceitar, faz mil esforços para mudar isso ou aquilo, por ter uma corrida de longo prazo em busca deste ideal que tem em mente, e que quase nunca se ajusta à realidade, ao que a pessoa realmente é, e nunca se ajustará, a não ser que essa pessoa finalmente se aceite.

Aceitar-nos em cada uma de nossas nuances, com nossos defeitos e nossas virtudes, fará, em primeiro lugar, com que nos encontremos com nós mesmos. Depois, chegará o equilíbrio com o próprio mundo e com quem nos rodeia.

  • Quem não aceita a si mesmo desenvolve um sentimento de insegurança direcionado a si mesmo.
  • A insegurança gera, por sua vez, a insatisfação. Alguém insatisfeito consigo mesmo acaba frustrado ou desenvolvendo comportamentos prejudiciais, como a inveja e o medo.
  • Ninguém é mais feliz por ter um corpo perfeito. Aliás, são muitas as pessoas que depois de tê-lo conseguido fazendo exercícios, dietas restritivas e inclusive cirurgias plásticas, descobrem que continuam sem se aceitar.
  • É importante ressaltar também que, em algumas ocasiões, esta necessidade de “autoperfeição” nos acompanha desde a nossa infância. Ter uma mãe muito rígida ou um pai severo faz com que acabemos mostrando esta insegurança em nós mesmos, e pensamos que a perfeição pode ser a única resposta.

É necessário que sempre cheguemos a este instante em nosso ciclo vital no qual, por fim, nos assumimos como somos. Este instante deve surgir após a adolescência e à chegada do início da juventude, momento em que nosso corpo já amadureceu.

A partir daí, acontece a grande aventura de nossas vidas. É aí que apenas os mais avantajados em termos emocionais, em termos de autoestima e de amor próprio poderão avançar em seu caminho vital com grande integridade, abertos a tudo que a vida lhes oferece porque, por sua vez, têm muito para dar à própria vida.

  • A aceitação também é assumir o nosso passado, nossos triunfos, e também nossos erros. 

    Ser feliz não está em desacordo com cometer erros. Também não devemos nos equivocarmos e assumirmos que somente os que têm uma vida perfeita são felizes. A felicidade são instantes, são momentos, e por isso é imprescindível que ela surja, em primeiro lugar, do nosso próprio interior.

    Somente os que se sentem orgulhosos de si mesmos e, por sua vez, sabem agir com humildade respeitando os demais e favorecendo também a felicidade alheia conseguem que este mundo seja, a cada dia, um pouco melhor.

musicapoesia-destino

Fonte: melhorcomsaude.com

Kaka Padilha