Publicado em Deixe um comentário

Eu X Cocaína – Parte 2

Minha vida fora completamente tomada por uma força que até agora é maior do que todas as minhas forças unidas.

Eu sempre fui uma menina muito positiva e acreditava que sempre serias capaz de qualquer coisa, bem, eu fui, até agora… Uma coisa que era para fazer com que eu me divertisse as vezes tornou a ser um remédio para minhas dores, e quando fui perceber isso, já era tarde  demais.

Deixei de ser forte e me tornei submissa a uma vontade de querer enganar todas as minhas dores usando dessa coisa chamada cocaína. Em qualquer situação que estivesse sofrendo eu mascarava minhas dores, até então um dia em que estava à beira da morte e ouvi o conselho de dois amigos para buscar ajuda, feito isso, me internei em um clínica, na melhor do brasil, mas nunca acreditei que eu fosse ser curada, e não fui até hoje caminhando para meu 5 mês lá.

Uma menina guerreira que já passou por tudo nessa vida perdeu-se então para um vício incontrolável, que sufoca se não for saciado. A fissura toma conta de mim e fico cega. Não importa quantas medicações me dão, em quantos grupos terapêuticos participo, o quanto escuto que isso não é bom para mim e etc… Na minha cabeça só o que eu quero é me drogar. Isso porque mesmo com minha  vida virada de ponta cabeça eu não consigo não ter vontade de usar, eu quero usar para mascarar todas as minhas dores novamente, para ficar magra (pois sou obcecada por isso), quero para sentir o  que é a sensação novamente.

Mesmo tendo em mente tudo o que eu posso perder com isso, a minha vontade não muda. Costumava dizer que isso é o amor da minha vida pois  quando experimentei a primeira vez brinquei que foi amor a primeira vista. Tenho consciência das minhas perdas e dos meus ganhos , sendo as perdas maiores que os ganhos eu continuo querendo apenas uma coisa que não preciso falar novamente. 

Eu fui me viciando sozinha, ninguém me chamava para usar isso, pelo contrário, era eu quem chamava amigos para usar comigo, eu cegamente me enfiei neste buraco que me encontro, tendo chances de sair vitoriosa, mas sem vontade. 

Hoje não estou na clínica, pois iria viajar com meu namorado, infelizmente mais uma vez por não estar em sã consciência eu estraguei tudo. Posso dizer que tenho a melhor pessoa do mundo ao meu lado e que esta tentando me salvar todo esse tempo, e que eu por estar cega ou não sei o motivo não consigo demonstrar tudo o que ele significa em minha vida. 

Essa droga, que eu acho boa e não sei porque diabos acho  isso, esta devastando calmamente toda minha vida e tirando tudo o que é importante pra mim.  

No final, será só eu e você, e todos esses meses dentro desta clínica não valerá de nada. Só valeu para adiar o meu fim.

Não sejam fracos como eu, não esperem estar à beira de um precipício para saber o que é importante  de verdade.

Estou terminando meu livro que será lançado em fevereiro 2018 e nele será contada  toda a minha história e tudo o que espero com isso é inspirar pessoas a nunca desistir, mesmo que neste exato momento é o que eu tenho feito.

Karen Padilha

Publicado em Deixe um comentário

Eu x cocaína .

Me encontro na fase mais difícil da minha vida até agora, superar vícios é extremamente difícil, ainda mais quando achamos que faz bem. Sou viciada em cocaína, estou internada em uma clínica de reabilitação a 4 meses e mesmo assim não consigo passar um dia se quer sem pensar na droga.

Droga, o nome já diz, fazem 5 anos desde que experimentei a primeira vez, costumava dizer para todo mundo que foi amor a primeira vista, a princípio realmente foi, ao passar dos anos me tornei cega, segundo dizem, o amor é cego não é mesmo?, fui gostando mais e mais, quando vi já estava usando todos os dias em todas as situações da minha vida, para sair com amigos, ir ao supermercado , consultas médicas, fazer exames, ir ver minha mãe, e tudo o mais. Eu não conseguia ter consciência do que eu estava me tornando, teve uma situação em especial em que eu não podia usar  nada e nem beber mas mesmo assim eu fiz. Fiz uma lipoaspiração, e uma semana antes não se pode ter contato com nada ilícito, porém eu tive, um dia antes da cirurgia fiz uma consulta pré-operatória , a médica me fez a seguinte pergunta, ” você teve algum contato com coisas ilícitas essa semana?”, respondi então que sim, era uma senhora quem me atendeu, ela então arregalou os olhos e perguntou o que eu tinha usado e me aconselhou a não usar mais até o dia seguinte que seria a operação, logicamente que não segui seus conselhos.

Após a  cirugia eu teria de voltar no consultório para fazer procedimentos estéticos pós-operatório, todas vezes que eu estava sob efeito da droga, eu não conseguia ver que eu estava completamente viciada naquela época, ia ao consultório e todos ficavam me olhando e eu não sabia o porque, hoje eu sei.

A coisa começou a piorar um ano e meio atrás quando comecei a usar todos os dias, eu não tinha com o me preocupar ainda, até que então fui obrigada a ter consciência de que eu estava absolutamente viciada. Procurei uma clinica de reabilitação para me recuperar, achei a melhor clínica do brasil chama “Maxwell”, a coisa não é para qualquer um, pois não é uma clínica  armadora como muitas que existem, o preço a se pagar é bem recheado, entretanto, isso não importa, o que realmente e é relevante é a minha recuperação e não sinto que vou me recuperar porque  eu vejo coisas positivas na droga, por exemplo: tenho menos apetite, e sou obcecada em ser magra e a droga ajuda muito,me ajuda a estudar, expande minha mente e etc…

Um viciado só se recupera se ele quiser e é ai que eu não me encaixo, quero usar para ficar magra, somente por isso, e não sinto a vontade de me recuperar, no entanto, eu sou obrigada a me recuperar, se não fizer isso perco a coisa mais importante que tenho, meu namorado que não aceita, e que esta me ajudando em todos os sentidos.

O real motivo de eu ter procurado essa clínica foi justamente para salvar meu relacionamento que estava à beira de  um precipício , meu namorado não sabia do meu vício, eu contei para ele com a ajuda do meu psiquiatra um dia antes de vir para clínica. Pela falta de conhecimento que meu namorado tinha ele não conseguia entender minhas variações de humor, falta de vontade de fazer alguma coisa e todos os desentendimentos que tínhamos, a partir do momento em que ele soube que eu era viciada ele passou a entender tudo e me dar força para me recuperar. Ele faz de tudo para que eu me sinta bem e tenha vontade de melhorar. 

Com esse tempo que estou passando na clínica pude ver quem são as verdadeiras amizades, e quem realmente se preocupa comigo. Posso dizer que tenho bons amigos e meu amor que é a coisa mais importante para mim.

A cada dia que passa aprendo um pouco mais sobre a vida, e as diversidades das pessoas.  

Esse momento é  importante para que eu  possa ver as coisas que  evitava ver. Chega de ilusões auto-impostas! Por mais dolorido que seja, é hora de identificar o que precisa ser mudado e parar de projetar expectativas excessivas nos outros, afinal isso não é justo nem comigo nem com os outros. Confrontar-me com os fatos, ainda que uma parte minha evite tacitamente fazê-lo, por puro medo de sofrer. É importante saber que sofro mais ainda quando insisto em histórias que não dão certo. A maior parte dos meus  sofrimentos deriva de insistências tolas que faço, a despeito de todos os conselhos em contrário.

Karen Padilha

 

 

 

 

Publicado em Deixe um comentário

Superando os obstáculos.

Eu sempre fui uma pessoa de família pobre, cresci passando pelas diversas dificuldades, sendo abandonada e rejeitada pela minha própria mãe que hoje tenta ter algum tipo de contato comigo, fui criada por uma tia e seu esposo que também não tinham as melhores condições, relembro momentos que passamos e não tínhamos o que comer, também quando íamos ao supermercado e estávamos devendo meses anteriores e não nos deixavam fazer a compra, implorávamos para que deixassem e pelo sentimento de pena que as pessoas tinham conosco permitiam então que fizéssemos nossa compra.

Cresci em meio a miséria , sendo humilhada pelos colegas na escola, não somente por ser pobre mas porque eu era uma menina diferente e problemática, e quem não seria passando por tudo o que vivi? Eu era uma menina sonhadora, era forte para passar por todos os obstáculos e conquistar meu espaço no mundo. Queria sempre mais, não me contentava com a miséria e humilhação pela qual passava, acreditava que tudo ia melhorar e ia mostrar para todo mundo que eu consegui ser uma pessoa melhor que eles e eles um dia iam vir atrás de mim. Dito e feito, hoje todos que me humilharam tentam ter algum tipo de aproximação, porém eu não deixo, não tenho mágoas de ninguém, perdoei todos que me fizeram mal, afinal se guardarmos esses sentimentos a vida não segue em frente. Eu sonhava que um dia teria as melhores coisas do mundo, e por sonhar e acreditar nos meus sonhos eles se tornaram realidade. Hoje tenho tudo o que sempre quis, as melhores coisas, me encaixo perfeitamente na sociedade em que só se importam em saber se você tem dinheiro ou não. Não sinto orgulho disso, é uma coisa mesquinha, gosto de falar porque era isso que eu queria desde criança.  

Tenho memórias de quando voltei a morar com minha mãe com 14 anos e ia comprar alguma coisa e achava que 100 reais era muito, eu não tinha noção de que 100 reais não é nada, mas para quem não tem acesso a coisas melhores é um absurdo. 

Estava pensando na minha vida hoje e me veio na cabeça que cada pessoa tem o seu mundo e que isso fazem eles felizes, vejo as pessoas que me criaram sendo felizes com tão pouco e aquele pouco é suficiente para eles, porque eles não imaginam como o mundo realmente é materialista. Eles tem a vida deles e não se importam com mais nada. Olho para trás e não consigo imaginar minha vida sendo como era. As pessoas que não são apresentadas ao mundo e sociedade atual talvez sejam sortudas.

Karen Padilha

 

 

 

 

 

 

Publicado em 2 comentários

Auto-Aceitação.

Nos aceitarmos como realmente somos é a coisa mais importante que podemos fazer por nós mesmos,sermos satisfeitos com a vida que realmente temos  para algumas pessoas pode parecer muito difícil. Porque as vezes essa pessoa pode pensar que para ser aceito pelos outros  precisa fingir ser e viver uma ilusão, às vezes mais que isso, passam a acreditar nessa ilusão.

Esse processo de aceitação pode ser uma aventura que pode durar muito tempo, e que muitas vezes pode ser sem fim. A partir do momento em que nos sentimos bem com quem somos de verdade , com o que temos e conseguimos alcançar, não será mais preciso usar máscaras, e continuar se escondendo por de trás dela. Quando conseguimos aceitar quem somos surge o equilíbrio interior que é muito importante.

Há quem passa grande parte de sua vida aparentando ser algo que não é. E não é só isso. Longe de se aceitar, faz mil esforços para mudar isso ou aquilo, por ter uma corrida de longo prazo em busca deste ideal que tem em mente, e que quase nunca se ajusta à realidade, ao que a pessoa realmente é, e nunca se ajustará, a não ser que essa pessoa finalmente se aceite.

Aceitar-nos em cada uma de nossas nuances, com nossos defeitos e nossas virtudes, fará, em primeiro lugar, com que nos encontremos com nós mesmos. Depois, chegará o equilíbrio com o próprio mundo e por quem nos rodeia.

Quem não se aceita desenvolve um sentimento de insegurança direcionado a si mesmo.

A insegurança gera, por sua vez, a insatisfação. Alguém insatisfeito consigo mesmo acaba frustrado ou desenvolvendo comportamentos prejudiciais, como a inveja e o medo.

Ninguém é mais feliz por ter um corpo perfeito. Aliás, são muitas as pessoas que depois de tê-lo conseguido fazendo exercícios, dietas restritivas e inclusive cirurgias plásticas, descobrem que continuam sem se aceitar.

É importante ressaltar também que, em algumas ocasiões, esta necessidade de “autoperfeição” nos acompanha desde a nossa infância. Ter uma mãe muito rígida ou um pai severo faz com que acabemos mostrando esta insegurança em nós mesmos, e pensamos que a perfeição pode ser a única resposta.

É necessário que sempre cheguemos a este instante em nosso ciclo vital no qual, por fim, nos assumirmos como somos. Este instante deve surgir após a adolescência e à chegada do início da juventude, momento em que nosso corpo já amadureceu.

A partir daí, acontece a grande aventura de nossas vidas. É aí que apenas os mais avantajados em termos emocionais, em termos de autoestima e de amor próprio poderão avançar em seu caminho vital com grande integridade, abertos a tudo que a vida lhes oferece porque, por sua vez, têm muito para dar à própria vida.

A aceitação também é assumir o nosso passado, nossos triunfos, e também nossos erros. É aceitar toda a bagagem que carregamos até agora.

Ser feliz não está em desacordo com cometer erros. Também não devemos nos equivocarmos e assumirmos que somente os que têm uma vida perfeita são felizes. A felicidade são instantes, são momentos, e por isso é imprescindível que ela surja, em primeiro lugar, do nosso próprio interior.

Somente os que se sentem orgulhosos de si mesmos e, por sua vez, sabem agir com humildade respeitando os demais e favorecendo também a felicidade alheia conseguem que este mundo seja, a cada dia, um pouco melhor, e com isso se torna cada dia uma pessoa melhor.

A vida só faz sentido enquanto temos uma meta a ser alcançada, um sonho a ser realizado, ou qualquer outra coisa para ir em busca, a partir do momento em que não temos motivos para viver, metas a serem alcançadas e sonhos a serem realizados a vida perde toda a sua cor.  Isso só acontece com pessoas que não se aceitam como são e não acreditam em si mesmas. Portanto o trabalho de aceitação é muito importante para regermos nossas vidas.

Karen Padilha.

Publicado em Deixe um comentário

Lidando com as dificuldades.

Existem aqueles dias em que paramos para analisar se nossa vida esta como queremos ou não , e colocamos no papel os motivos pelos quais devemos continuar lutando e os que  nos dá aquela vontade que nos sufoca de desistir de tudo. Quando colocamos na balança,os motivos para desistir são muito mais do que aqueles para continuarmos lutando, isso é natural, a vida nos testa para ver até aonde conseguimos chegar. 

Eu tenho sempre uma frase em minha mente que eu levo para todos os fatores de minha vida :

”Há vários motivos para não amar uma pessoa, e um só para amá-la; este prevalece.” -Drummond

Esta frase se reflete em todos os aspectos da vida, não só no amor,  se existem mais motivos para desistir do que para continuar, deixe que os motivos para continuar prevaleçam, não importa o que seja. A vida é dura, mas ela só é dura para quem não sabe ou não procura um jeito de melhorar, desistir é o caminho mais fácil, porém não é o que te trará mais alegria, lutar pelo que se quer é muito mais gratificante, e lá no final podemos parar e ver que conseguimos, por mais que naquele momento a vontade foi de desistir, poderemos olhar no espelho e sentirmos orgulhos de nós  mesmos, porque não importa as circunstâncias, fomos mais forte do que todas as coisas que um dia  fizeram ter a vontade de desistir de nós mesmo, da vida.

”Se todos nós jogássemos nossos problemas numa pilha, veríamos os problemas dos outros e pegaríamos os nossos de volta.” Autor Desconhecido

Na vida tudo uma hora se ajeita, isso se chama sincronicidade, é a lei natural das coisas. Quem opta por desistir, esta desistindo de si mesmo, e nunca devemos fazer isso.

Para melhorar as coisas em seu dia,  em  sua vida e recomeçar dia a dia, passo a passo, fazendo um exercício diário,

1- Todos os dias quando acordar, agradeça por mais um dia de vida, mais uma chance de fazer as coisas acontecerem, gratidão .

2- Sempre que lhe vier um pensamento negativo, preencha imediatamente ele com um pensamento positivo, ser sempre positivo.

3- Leve seu dia com autenticidade, pensamentos positivos sempre. Tudo vai dar certo, eu sou capaz, eu posso, eu quero ,eu consigo.

4- Não deixe se incomodar com a opinião dos demais, afinal isso é só a opinião deles e mais nada. A opinião dos outros não me atinge, pois estou concentrado na minha vida, primeiro eu, segundo eu e terceiro eu.

5- Seja sempre você mesmo, de verdade, não tenha medo de nada, e ninguém, tenha sempre em seu coração a gratidão e o amor, e leve isso por onde for, ser verdadeiro consigo mesmo e com todos a volta.

A vida é feita de escolhas, por isso temos de escolher sempre continuar. Pois algo mágico e maravilhoso esta a nossa espera, basta continuarmos caminhando, e não deixar  que a vontade ou os motivos de desistir sejam mais fortes e prevaleçam, que continuemos sempre na nossa jornada com a pureza em nossos corações, levando bondade e amor por onde formos.

“Todo o que disser a este monte: levanta-te e lança-te ao mar, se não duvidar no seu coração, mas acreditar que sucederá tudo o que disser, obterá esse milagre. Por isso, vos digo: tudo o que pedires em oração, crede que o obtereis e o haveis de conseguir” (Marcos 11, 23-24).

Karen Padilha

Publicado em Deixe um comentário

Crescendo em meio ao caos.

Cada um de nós nascemos puros, trazemos conosco o amor, leveza e a bondade em  nossos corações,entretanto, o mundo pode nos corromper de várias maneiras, todos estamos sujeitos a tal acontecimento,porém temos o livre arbítrio  para escolhermos deixar ou não que sejamos corrompidos.

É cientificamente provado que os primeiros 7 anos na vida de uma criança são os mais cruciais e  determinantes, pois sabe-se que é  na infância que se lançam as bases do desenvolvimento nos seus diversos aspectos: fisico, motores,sociais,emocionais,cognitivos,linguísticos, comunicacionais, morais, éticos, psíquicos e biológicos. Isso porque sexênio trocamos todas as substâncias do nosso organismo e esse processo reflete tanto em nosso comportamento quanto em nosso corpo físico. 

Nesse processo surgem os componentes básicos para um bom crescimento emocional e saudável : aleitamento materno, oferta de conforto e acolhimento ,estímulos de experiências sensoriais, respostas as necessidades do bebê – até mesmo antes do choro, presença física e constante de seus pais, avós e de quem a criança têm contato, presenças essas que devem  conter toque de carinho, espaço e tempo para brincadeiras. A criança precisa sentir que o mundo é bom, e através disso , desenvolver a confiança no ambiente em que vive e nas pessoas com quem convive. 
Adultos que se recordam de receber essas atenções em sua infância têm menos depressão, ansiedade, maior habilidade de enxergar a perspectiva de outras pessoas e de exercitar a compaixão. Esses são apenas alguns dos benefícios que uma infância feliz é capaz de proporcionar.

‘’Não é possível reparar mais tarde o que o educador negligenciou durante o primeiro setênio’’. – Rudolf Steiner

Todos trazemos conosco dons e talentos, que serão nossas virtudes e potenciais a serem desenvolvidos ao longo da vida, trazemos também desafios para o nosso próprio crescimento. Alguns desses desafios estão impressos em nosso DNA, assim como doenças genéticas e determinadas limitações físicas. Outros são gerados a partir  das escolhas que fizermos ao decorrer da vida. Mas independente de sua natureza, os desafios são instrumentos de aprendizado. 

Quem já teve a oportunidade de acompanhar o crescimento de  uma criança sabe que ela nasce confiando e amando  com toda sua pureza e bondade em seu coração . 

Uma criança que ainda não foi corrompida pela maldade do mundo e contaminada pelas misérias dos adultos à sua volta simplesmente pega na mão de seus pais vai sem saber aonde estão a levando, entretanto, aos poucos , ela deixa de confiar e começa  a ser  atingida pelo medo e pelo ódio na forma de desconfiança e insegurança , raiva e vingança.

Mas por que isso?Porque lhe ensinada dessa forma, desde pequeno uma criança aprende que é vítima das circunstâncias em seu exterior e com isso aprende que precisa se defender e cria seus mecanismos de defesa, adquire crenças e condicionamentos limitantes. São limitantes porque ao mesmo tempo em que serve para proteção , geram separação e esquecimento. Os muros que são construídos ao redor para se proteger são os mesmos que lhe mantém isolado do mundo.

Costumo dizer que  esses mecanismos de proteção e esquecimento é chamado de ‘’eu-inferior’’, ou ainda, maldade. Isso que conhecemos como maldade nada mais é do que um conjunto de mecanismos de defesa que desenvolvemos desde cedo para nos proteger da dor , dos choques de humilhação, rejeição e exclusão. 

Até os sete anos, as crianças são como esponjas, captam consciente e inconscientemente tudo que está ao seu redor. Isso significa que seu corpo etérico absorve todo tipo de sentimentos e pensamentos das pessoas de seu convívio. Ações e ideias morais ou imorais a permeiam, independente de serem explicadas ou justificadas; aliás, de nada adiantam regras e preceitos verbais, os quais entrarão por um ouvido e sairão pelo outro. O que ela precisa são exemplos e nada mais. Tudo o que as crianças captam veêm e sentem serão determinantes para seu crescimento e para a formação de seu carácter. 

ORAÇÃO PARA O PRIMEIRO SETÊNIO.

Da cabeça aos pés

sou a imagem de Deus.

Do coração às mãos

sinto o sopro de Deus.

Quando Deus eu avisto

em todas as partes,

em todas as pessoas queridas,

No papai e na mamãe,

no animal e na flor,

na árvore e na pedra,

não sinto medo de nada:

só amor

a tudo que está ao meu redor.

Rudolf Steiner

Uma criança que foi bem cuidada e teve todas as atenções de que precisava tem privilégios extremamente significativos em relação àqueles que não receberam tais benefícios. Isso acontece pelo simples fato de que as futuras atitudes vão depender muito das experiências vivenciadas nesse período. 

Eu vivi desde quando abri os olhos pela primeira vez um completo caos, nos meus primeiros 7 anos, o que eu vivi foi uma tortura, minha mãe simplesmente me abandonou,fui rejeitada diversas vezes por parentes e pessoas ao redor,  mas acredito que eu estava sendo preparada pela ‘’vida’’ para estar aqui hoje exatamente aonde estou, da forma que estou, escrevendo estas linhas como uma forma de inspiração para pessoas que passaram por dificuldades em sua infância e que ainda deixam  que isso influencie sua vida presente. É preciso nos libertar do que passou, perdoar que nos fizeram e seguir em frente. O mundo pode sim nos corromper , nossa família pode sim nos corromper, mas nossa pureza com a qual nascemos deve prevalecer e ser maior que tudo.

O que sempre me pergunto e ainda não encontrei respostas em nenhum dos livros que li, é o que acontece com uma criança que assim quando nasce já se é descartada? O que acontece com a mente desse ser que vem ao mundo com um coração puro, amando, e já é correspondida com o ódio e a maldade da pessoa que a gerou? Porque ninguém fala sobre esse assunto, ou escreve sobre? Ou eu sou uma pessoa leiga que não tive acesso ainda.

Pode uma criança que foi corrompida pela maldade dos pais e do mundo em geral, desde o nascimento, sendo jogada de mão em mão, sendo rejeitada, abusada, passando pelo mais diversos tipos de abusos, corporais, verbais, visuais, todos que possam imaginar, crescer sem maldade nenhuma, sem querer ,sem desejar maldade para o outro e para quem o fez maldade no passado? Bem, digo que sim, pois uma dessas pessoas esta aqui lhe escrevendo essas linhas .

Mas é possível que todos os indivíduos expostos a tal penitencia possam crescer sem sequelas na memória e no seu psicológico? Que possam crescer sem maldade ou violência para com os outros ? É possível que todas tenham a capacidade de se sairem bem de uma situação completamente obscura desde seus primeiros anos de vida? Porque será que existem tantas pessoas más no mundo? Porque será que existem ladrões? Pessoas que matam? Que invejam Que desejam o mal? Será por isso?  Será porque não conseguiram deixar que a sua pureza transcendesse diante a maldade ? Infelizmente são poucas as pessoas que conseguem essa dádiva e travar essa luta sozinha da qual não merecia e sair vencendo. Isso é um mérito, pois é difícil ser exposto ao caminho obscuro e espinhoso , assim que vem ao mundo, não desmereço os que não conseguiram ou não conseguem enfrentrar essa luta, mas compartilho minha jornada para que vejam que é possível sair ileso dessas batalha, e seguir uma vida radiante, é só querer, a resposta esta nos seus lábios, é só dizer sim.

Existe alguma coisa maior que consiga explicar isso? E o porque isso acontece? Creio que sim,  eu mesma conseguiria explicar, mas não é esse o ponto que quero chegar, o ponto que quero chegar é que eu fui uma vítima da crueldade da minha mãe, da minha família, do mundo que me rodeou quando pequena, e que, apesar de tudo, me transformei em uma pessoa de bom coração, que eu não deixei isso corromper minha bondade, o meu anseio por um mundo melhor, por pessoas melhores, por um mundo aonde o amor seja maior que o ódio, e a minha vontade de compartilhar essa história com meus futuros leitores e fazer com que tenham a coragem de viver e não ter medo de nada e serem felizes.

Mesmo tendo sido uma vítima consigo agradecer por isso, pois outrora, não estaria aonde estou,  não teria sido obrigada a pausar minha vida por um tempo, e não teria  o prazer de estar escrevendo minha história e compartilhar com o mundo, o mesmo mundo que em uma época me fez sofrer. Creio que a vida estava me preparando para ser a pessoa que sou hoje e que quero ser no futuro. Também comparo tudo pelo que passei como desafios ou obstáculos a lugares de parada na jornada da alma em evolução. A viagem é longa e muitas vezes nos sentimos cansados. À vezes precisamos parar para abastecer e nos alimentar, às vezes para cumprir acordo em lugares  específicos. Mas toda parada serve, para, de alguma maneira, nos recuperarmos e absorvermos aprendizados. As pausas servem para revermos a mapa da vida e nos situarmos na jornada. Nesses momentos, também podemos rever os lugares por onde andamos e os buracos pelos quais passamos , a fim de evitar novas quedas . Mas pararemos , principalmente, para resgatar partes nossas que ficaram presas no passado e para absorver determinadas lições . E, dessa forma , vamos nos fortalecendo para seguir rumo ao destino final.

Karen Padilha

 

Publicado em Deixe um comentário

A cada dia viver me esmaga com mais força.

Como uma criança que perdeu a mãe na floresta, a apreensão e o medo me perseguem, já não é mais fácil como antes encontrar uma luz no fim do túnel ou me livrar desse amontoado  de incertezas que remoem todo o meu ser. 

O quarto de dormir é o meu ponto fixo para minhas dores e preocupações. Vejo meu reflexo no espelho e me pergunto porque estou fazendo isso comigo mesmo, perdendo minha cabeça , me afundando cada dia mais, algumas vezes é difícil seguir o nosso coração, as lágrimas não são uma derrota, é normal não estar bem, todos estão sofrendo.

Já não sei mais se o que estou fazendo faz algum sentido ou se estou presa a uma ilusão que não existe e não me liberta, estou presa em um círculo vicioso do qual não consigo sair. No fundo, bem lá no fundo, sei o que deve ser feito porém não consigo despertar verdadeiramente.  

Gritos de socorro silenciosamente e continuo a ser esmagada a cada dia que passa .

Karen Padilha 

 

 

Publicado em Deixe um comentário

A vida não precisa fazer sentido para ser vivida.

Às vezes me pego questionando em meio ao caos de todos meus pensamentos, desejos e angústias qual o real sentido da vida, de viver, de estar viva. Existem momentos em que temos de parar e nos fazer essa pergunta, e quando isso acontece é porque a vida esta deixando de fazer sentido, e passamos de viver para apenas existir. Precisamos fazer uma pausa para reencontrar nosso sentido de viver, de estarmos vivos, reencontrar uma parte nossa que se perdeu pelo caminho. 

A vida pode deixar de fazer sentido muitas vezes, e temos de recuperar isso quantas vezes forem necessárias .

Quando nos encontramos em uma situação em que não conseguimos ver uma luz no fim do túnel é que nos pegamos a questionar o sentido da vida e de porque isso esta acontecendo, qual a razão, e a vida sempre nos dá essa resposta, cedo ou tarde.

Se analisarmos de fora como a nossa vida esta caminhando veremos que tudo acontece para nos ensinar algo, e temos de tirar um aprendizado de cada momento de dificuldade que encontrarmos, isso nos faz mais forte.

Questionar o sentido da vida não é algo errado, é algo necessário, pois ao analisarmos toda a nossa vida, os acontecimentos, nossas metas, as ferramentas que usaremos para conquistá-la, as pessoas com quem convivemos, estamos fazendo um exercício de autoconhecimento, e autoconhecimento nunca é demais. 

 O que você entende como o sentido da vida pode não ser o que a outra pessoa entende, cada um de nós enxergamos a vida de forma diferente, cada um tem um sentido  de viver diferente dos outros, afinal se todos fossemos iguais a vida não teria tanto sentido assim.

É preciso saber o sentido da vida para viver ou apenas encontrar o nosso motivo de viver é o suficiente? 

Acredito que apenas encontrar o nosso próprio sentido para viver é o suficiente porque a vida não existe para fazer sentido embora seja questionado a todo tempo, ela existe para ser vivida, para vivermos da forma que acharmos certo, para sonhar e conquistar nossos sonhos, para amar e ser amado, para encontrarmos a felicidade nas coisas mais simples, quem sabe ser feliz com as coisas mais simples conseguem ser felizes em qualquer situação.

Perder tempo da nossa vida tentando descobrir o real sentido dela é bobagem, mesmo em tempos difíceis, a vida acontece da forma que tem de acontecer e precisamos aceitar e aprender a conviver com isso.

“Para mim, é muito melhor compreender o universo como ele realmente é do que persistir no engano, por mais satisfatório e tranquilizador que possa parecer.” – Carl Sagan

Karen Padilha

 

Publicado em Deixe um comentário

Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses. – Sócrates

 Muitas vezes passamos dias, às vezes até meses e anos mergulhados numa chateação ou ressentimento. Remoemos aquilo, até que de repente – bum! – a coisa passa

Quando alguma coisa acontece e com isso ficamos presos a sentimentos negativos nós estamos indiretamente fazendo com que mais coisas deste tipo aconteça. Somos o que pensamos e emitimos ao universo. A maioria de nós ficam presas à esses sentimentos por acharem que não são merecedoras da felicidade e de viver melhor do que se esta vivendo. 

Mesmo quando algo ainda esteja nos incomodando precisamos deixar isso de lado e abrirmos a porta para a felicidade entrar, para circunstâncias prazerosas  possam vir a acontecer, estarmos abertos a conhecer gente, abrir nosso coração e perceber que felicidade seja ela afetiva ou qualquer outra não é algo que só existe em filmes.

Mudar o foco dos nossos pensamentos e atos deixando as preocupações e chateações de lado, mudar tudo o que é de negativo para o positivo. Deixar de ser uma pessoa negativa para ser uma positiva, e acredite, isso lhe trará lucros. Tirar um aprendizado do que se passou e seguir a vida de cabeça erguida sabendo que a qualquer momento pode acontecer uma outra coisa que nos chateie novamente, mas que agora temos o controle da situação e não deixar que isso nos controle.

”Nosso auto-conhecimento é fervoroso, come as nossas tristezas e nos faz mais fortes” –Lucas Lemos 

Saber controlar os sentimentos e as reações que temos diante de tais acontecimentos é muito importante, podemos escolher sermos derrubados por algo ou podemos escolher ver um sinal positivo e aprender com isso. A segunda opção é a correta, entretanto as pessoas preferem ficar com a primeira e não veêm o que estão fazendo de errado porque ainda não aprendeu a administrar o seu eu o que não é coisa de outro mundo.

 

Quando falamos em ter controle de si mesmo perante as situações que nos é colocada pela vida, o autoconhecimento é uma ferramenta essencial. São muitas as pessoas que enfrentam mudanças em suas vidas pessoais e profissionais e que não sabem como lidar com elas, com o autoconhecimento aprendemos. Falar de nós mesmos é difícil, temos a ilusão de que nos conhecemos e  que sabemos a respeito de nós próprios , no entanto  poucas vezes paramos para pensar, refletir e escrever nossas metas. Não paramos para analisar nossa vida, quem somos e ficamos perdidos em meio ao acontecimentos.

O autoconhecimento é uma ferramenta importantíssima para se ter a vida que quer, tudo o que precisa fazer é colocar no papel ” quem sou eu”? , isso lhe permitirá ver quem você é e quem deseja ser futuramente, e o mais importante, traçar uma estratégia para chegar a quem se quer ser, em seguida faça a linha da vida, crie uma linha horizontal que representa a sua vida. Nesta linha, você marcará um ponto médio que representa o agora, comece então os diferentes acontecimentos e situações que tenha vivido no passado, com isso você poderá se tornar consciente daquilo que considera relevante em sua vida. A segunda parte terá de  preencher parte de seu futuro, marcando seus objetivos mais próximos e importantes,  e os mais afastados no tempo. Ao finalizar peço que reflita sobre o que tem vivido e o que quer alcançar e quais ferramentas usará para alcançar suas metas. 

“A chave para gerenciar os outros de maneira efetiva é aprender a se gerenciar primeiro. Quanto mais você conhece a si mesmo, melhor poderá se relacionar com os demais, a partir de uma posição de confiança, segurança e força” . – Weisinger

m000109942.jpg

Karen Padilha

 

Publicado em Deixe um comentário

E se fossemos capazes de ver além?

E se nossos olhos fossem capaz de ver além do que lhe é possível? Se tudo aquilo que consideramos impossível pudéssemos ver que não é. Que todas nossas fantasias que existem apenas em nossa cabeça, na verdade, não existem apenas em nossa cabeça .

Se fossemos capaz de ver que esses mundos mágicos que existem em filmes, são a mais pura realidade embora ainda não possamos alcançá-los? E se possível alcançá-los, como?

A ignorância humana é tanta e talvez por isso não podemos ter o privilégio de ver as coisas além do que verdadeiramente são . 

“Eles armam ciladas contra o seu próprio sangue”. Provérbios 1:18

Se pudéssemos ver além iríamos causar problemas porque isso é o que mais sabemos fazer , embora saibamos também como solucioná-los, mas não existe razão para que pudéssemos ver além para causar problemas, para querer tomar posse do que não é nosso. 

“A ambição universal dos homens é viver colhendo o que nunca plantaram.” Adam Smith

Estes mundos mágicos que vão além da nossa compreensão, não nos é permitido enxergá-los para que  não levemos toda a ignorância, inveja e maldade que existe no nosso mundo para ele.

Acredito que tudo o que vemos em filmes, documentários, em livros que lemos, absolutamente tudo existe, sendo ”mágico” ou não, a idéia de um mundo sem inveja, maldade parece coisa de gente louca, mas não é, é apenas coisa de gente que acredita que um mundo assim é real , ou possa a vir, isso se não nos auto-destruirmos antes.

A partir do momento em que estivermos prontos para enxergar além, isso nos será apresentado. Algumas pessoas já têm acesso a isso, pessoas essas que acreditam e querem um mundo melhor, que sabem quem são de verdade e sabem como viver a vida da melhor forma. Pessoas especiais que existem para ensinar outras sobre como se viver uma vida repleta de felicidade, de magia, a vida por si só já é mágica, então porque não acreditar em magia?

Nós podemos criar tudo aquilo em que pensamos, acreditamos e fantasiamos, um mundo mágico pode ser seu próprio mundo, pois somos nós quem criamos a vida que queremos, somos nós quem criamos nosso próprio  mundo, e acreditamos nele ou não. 

Eu tenho uma ligação muito forte com um amigo que acredita em coisas mágicas, seres mágicos, universos mágicos, ele acredita ser um unicórnio, quando estamos juntos nós transformamos nosso mundo no mundo em que gostaríamos de viver. Com magia, pessoas gentis, bondosas, que querem apenas viver sem máscaras, que querem ser elas mesmas sem julgamento.

Não importa no que acreditemos, o que somos, não precisamos esconder isso do mundo, porque o mundo, as pessoas vão sempre julgar, temos de ser quem somos em todas as situações. 

Acredite você ou não, a magia existe…. Espero que você a encontre em seu caminho ou dentro de si mesmo. 

Karen Padilha