Arquivo da tag: love

Feito uma montanha russa.

Há meses venho vivendo em uma montanha russa de sentimentos, sensações, vontades, medos e prazeres. A vontade de realizar algo novo se vai com tanta rapidez quanto ao medo de o fazer.

Um acumulo de ideias amontoam minha cabeça, umas mais fantasiosas, outras mais realistas.

Há meses venho vivendo em meio a um ciclo que eu mesma estou criando de não sair do lugar, de não fazer nada, de não tirar minhas ideias da cabeça e colocar no papel e ir pra cima ver no que dá. Dias em que acordo pensando ‘’ hoje vou fazer alguma coisa’’, com o maior entusiasmo do mundo, e em menos de segundos esse entusiasmo se vai. Dias e noites em que passo tentando entender o que esta acontecendo comigo. O porque desse emaranhado de sensações, boas e ruins. Dias em que acordo achando que vou morrer e passo o dia com medo de ser meu ultimo dia e de eu não ter feito nada que desejo.

Dias e noites que passo questionando a existência, universo, que passo tentando me encontrar em algo que eu realmente goste e tenha vocação, mas parece que nada me agrada, apesar de eu me interessar por muitos assuntos e acreditar que eu tenha potencial para tornar todas essas idas e vindas nessa montanha russa de sentimentos e loucuras em algo grandioso e que possa ser ouvido e compartilhado pelo mundo todo. Que eu possa tornar isso em uma forma de ser uma voz para as pessoas que as vezes passam pela mesma coisa que estou passando, ‘’ o momento de se encontrar’’, e que não é facil, e que eu possa ajudá-las, fazendo exatamente o que estou fazendo agora, escrevendo.

Aonde essa montanha russa vai parar eu não sei, mas espero que pare perto da onde eu quero chegar.

 

Kaka Padilha

Nós somos, cada um de nós, um pequeno universo.

Nós somos, cada um de nós, um pequeno universo. Um assunto abordado com frequência por Carl Sagan era a dimensão das coisas muito pequenas, como aquelas que compõem nossos corpos. Ele frequentemente colocava o minúsculo em escala com o gigantesco, equiparando, por exemplo, a quantidade de átomos em uma molécula de DNA com a de estrelas em uma galáxia típica. É uma forma elegante de demonstrar como somos muito pequenos e muito grandes ao mesmo tempo. Em uma outra comparação do gênero, dizia que existem mais estrelas no Universo do que grãos de areia em todas as praias da Terra.